Na noite de 23 de maio de 1844...

25.09.2019

Antes do Báb declarar a Sua Missão, várias pessoas em todo o mundo sentiam, no fundo dos seus corações, que o Prometido iria aparecer muito em breve. Uma destas santas pessoas era Siyyid Kázim, que vivia na cidade de Karbilá, no Iraque. Siyyid Kázim tinha muitos discípulos e devotou a sua vida a prepará-los para a longa e esperada vinda do Qá’im. Repetidamente, em várias ocasiões, dizia-lhes que, depois da sua morte, deveriam deixar os seus lares e, com os corações livres de todo o desejo terreno, dispersarem-se na procura do Amado Prometido. 

 

Depois  do falecimento de Siyyid Kázim, um dos seus mais destacados discípulos, Mullá Husayn, foi para uma mesquita e, durante quarenta dias, permaneceu em oração e meditação, abrindo amplamente o seu coração para receber a inspiração de Deus. Após estes quarenta dias, partiu para o Iraque acompanhado de duas outras pessoas e iniciou a procura do Prometido. Primeiro, foi a Bushihr, mas não permaneceu ali muito tempo, pois alguma coisa parecia atraí-lo irresistivelmente em direcção ao norte, e pouco depois dirigiu-se para Shiraz. Quando chegou ao portão desta cidade, instruiu os seus companheiros, dizendo-lhes que fossem diretamente à mesquita e lá permanecessem até à sua chegada.

 

Poucas horas antes do entardecer desse mesmo dia, Mullá Husayn caminhava fora das portas da cidade, quando encontrou um Jovem que lhe deu as boas vindas e  o convidou para ir a Sua casa para descansar da sua longa e difícil viagem. Mullá Husayn ficou profundamente impressionado pela forma gentil, mas firme, com que esse Jovem extraordinário falava. Seguiu-O, e pouco depois chegaram à porta de uma casa modesta. Entraram e sentaram-se numa sala no andar superior. O gentil anfitrião pediu que trouxessem um jarro com água para que o Seu hóspede se pudesse lavar do pó da viagem. Depois, Ele mesmo preparou e ofereceu um chá a Mullá Husayn. Após estes gestos de hospitalidade, começou a falar com o Seu hóspede. Os detalhes desta histórica conversa foram, mais tarde, narrados por Mullá Husayn.

 

“Era aproximadamente uma hora após o pôr do sol quando o meu Jovem Anfitrião começou a conversar comigo. “Quem, depois de Siyyid Kázim”, perguntou Ele,“considerais como seu sucessor e vosso mestre?” “Na hora da sua morte”, respondi, “o nosso falecido mestre exortou-nos insistentemente a abandonarmos os nossos lares e espalharmo-nos por toda parte, em busca do prometido Bem-Amado. Consequentemente, viajei para a Pérsia, levantando-me para cumprir o seu desejo e ainda estou empenhado na minha busca.” “O seu mestre“, inquiriu-me ainda, “deu-vos algumas indicações detalhadas quanto às características distintas do Prometido?” “Sim”, respondi, “Ele é de linhagem pura, de descendência ilustre e da semente de Fátimih.  Quanto à Sua idade, tem mais de vinte anos e menos de trinta. É dotado de conhecimento inato, possui estatura mediana, abstém-se de fumar e está livre de qualquer deficiência física.” Manteve silêncio por um momento e, então, com voz vibrante, declarou: “Vê, todos esses sinais estão manifestos em Mim!” Então analisou cada um dos sinais acima mencionados e demonstrou, de modo concludente, que todos eram aplicáveis à Sua pessoa.”

 

 

 

Share on Facebook
Please reload

Pode também gostar de:

O bicentenário na imprensa local e regional

02.11.2019

Momentos musicais nas celebrações

31.10.2019

1/13
Please reload

Contacte-nos:

Comunidade Bahá'í de Portugal

Rua Cidade de Nova Lisboa, Nº 17

1800-107 Lisboa

Tel: (+351) 217 590 474

Email: info@bahai.pt

Encontre-nos online:

  • Facebook - Grey Circle
  • YouTube - Grey Circle